« Postagens Antigas
Escolha uma Página

O presidente da República, Michel Temer, recebeu neste domingo (9) os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), no Palácio do Jaburu, onde Temer reside em Brasília. Desesperado com sua situação política, o presidente marcou esse encontro, um dia antes de o deputado Sérgio Zveiter (PMDB), apresentar relatório sobre denúncia contra ele à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e a permanência do PSDB no governo. A reunião durou cerca de uma hora e meia.

No parecer, Sérgio Zveiter, relator, pode recomendar a admissibilidade ou a rejeição da denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O presidente Temer foi denunciado pelo crime de corrupção passiva, com base nas delações de executivos da JBS.

Além da condenação, o Ministério Público, pediu a perda de mandato de Temer, “principalmente por ter agido com violação de seus deveres para o Estado e a sociedade.”

Após a apresentação do parecer, a CCJ votará o relatório, depois o texto será submetido à análise do plenário da Câmara. Caberá a Câmara dos Deputados decidir se a peça do Ministério Público seguirá ou não para o Supremo Tribunal Federal. Para ir adiante, a denúncia precisa de 342 votos dos deputados.

Se chegar ao STF e os ministros da Corte aceitarem a denúncia, o presidente Michel Temer vira réu e será afastado do mandato por até 180 dias. Nessa hipótese o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) assume interinamente a Presidência da República, por ser o primeiro da linha sucessora.

Nos últimos dias, a situação do presidente se agravou. Nesta segunda-feira (10), a cúpula tucana vai se reunir e debater o crescimento do movimento do PSDB, um dos principais partidos da base de Temer, de desembarque do governo. Atualmente, o PSDB tem no governo 04 ministérios.

O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissat (PSDB-CE), declarou que Temer estava perdendo a capacidade de governar o país. Tasso também disse que o deputado Rodrigo Maia teria condições de reunir os partidos em uma eventual transição até 2018.

O senador Cássio Cunha (PSDB-PB) disse que a legenda paga um preço “altíssimo” o manter apoio ao governo “mais impopular” da história. Segundo o tucano, seis dos sete deputados do PSDB na CCJ vão votar pela admissibilidade da denúncia contra Temer.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defensor da permanência do PSDB no governo de Temer, está convocando dirigentes e governadores do partido, para uma reunião em São Paulo na segunda-feira (10). O objetivo do encontro deverá acontecer no apartamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em São Paulo, é tentar alinhar o discurso.

O presidente Michel Temer retornou ao Brasil neste sábado, para tentar manter sua base de sustentação na Câmara dos Deputados. Ele deixou a Alemanha antes do término oficial da reunião do G20, das 20 principais economias do mundo.

 

You have Successfully Subscribed!

Share This