« Postagens Antigas
Escolha uma Página

O secretário nacional de Atenção à Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, promete solução rápida para a nova crise que se abate sobre o Programa Mais Médicos. O compromisso foi feito ao titular da Secretaria de Saúde de Uberaba, Iraci Neto, em duas ocasiões nas últimas horas: na tarde/noite de quarta-feira (20) e nesta manhã (21).

Iraci procurou o secretário nacional para relatar que Uberaba enfrenta problemas com o programa, uma vez que os profissionais estão deixando as vagas quando aprovados Residência Médica. Seis já se desligaram, segundo o secretário de Saúde, número considerado importante, sobretudo ante ao fato de que estes profissionais atendiam em unidades espalhadas por vários bairros.

O edital publicado pelo Ministério da Saúde dia 20 de novembro do ano passado no Diário Oficial da União abriu 8.517 vagas no País, preenchidas via Internet, com preferência aos primeiros inscritos, cumpridas as as exigências. Uma delas era de que o inscrito não estivesse fazendo Residência.

Conforme lembra Iraci Neto, os procedimentos burocráticos foram providenciados com agilidade para que os designados pelo Ministério assumissem as vagas rapidamente.

Criadas com o fim do acordo entre Brasil e Cuba as vagas foram preenchidas principalmente por recém-formados e/ou profissionais que aguardavam aprovação em Residência. O edital do governo federal impedia ao profissional assumir as duas funções, mas a proibição só se referia ao momento da inscrição.

Reação – O mesmo problema enfrentado em Uberaba se repete Brasil afora. “Esperamos que o Ministério da Saúde resolva esta questão o mais urgente possível”, disse o secretário Iraci Neto. Ele explica que tudo está sendo feito para evitar prejuízos à população. Entre as medidas adotadas de imediato, cita o aumento na demanda dos profissionais que estão em atividade.

Foto: Divulgação/PMU

 

 

You have Successfully Subscribed!

Share This