« Postagens Antigas
Escolha uma Página

Na primeira reunião após o arquivamento da denúncia, o presidente Michel Temer juntou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunicio Oliveira, para tentar retomar a agenda econômica. Entre os projetos discutidos no encontro, estão a continuidade da reforma da Previdência, o projeto do Refis e a elaboração de uma reforma tributária. Também participaram da discussão os ministros Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Antônio Imbassahy, de Relações Institucionais.

Na próxima quarta, Meirelles irá se encontrar com Maia e Eunício para rever o texto do projeto do Refis no intuito de facilitar sua aprovação. Esta é a primeira matéria que o governo espera ver aprovada. Na reunião, também se falou de outros projetos da área econômica e do calendário de votação para a reforma da Previdência e tributária. Maia saiu do encontro dizendo que a reforma da Previdência pode ser votada já no mês que vem.

Rodrigo Maia, afirmou que ainda serão necessárias algumas semanas para rearrumar a base do governo depois da rejeição da denúncia contra Temer, mas que acredita que será possível votar as mudanças nas regras de aposentadoria na Câmara até setembro deste ano.

Ainda segundo Maia, um dos focos da Câmara após a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer será uma agenda de segurança pública. Para ele, um dos problemas é a segurança para que os policiais possam ir às ruas. Outro ponto é o aumento da pena para o porte de fuzil.

— Há um pleito forte das Forças Armadas para que se dê segurança para o policial ir às ruas. A gente sabe que as Forças Armadas são fundamentais para o Rio, então precisamos dar suporte legal. Uma outra questão é a pena para quem usa fuzil, que é muito baixa — disse.

Maia disse que pretende convidar secretários de segurança dos estados para debater os projetos que podem ir à votação.

— Nossa agenda é uma agenda da segurança do cidadão. Os embates históricos das corporações ficarão para outro momento. Câmara e Senado farão isso em conjunto. Vamos consensuar a agenda pelo Congresso, sob a presidência do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Estamos fechados — garantiu.

Indagado se a redução da maioridade pode ir a votação, Maia disse que o tema pode ser discutido:

— Se o tema tem vinculação com o cidadão, pode se discutir. Há um projeto do senador José Serra (PSDB-SP), que permite reduzir a idade dentro do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Acho que esse pode passar na Câmara — avaliou.

 

 

 

You have Successfully Subscribed!

Share This