« Postagens Antigas
Escolha uma Página

A Prefeitura Municipal de Uberaba quer esclarecimentos para compreender a diferença de preços praticados no fornecimento de combustível para distribuição aos atacadistas e distribuidores. Os combustíveis comercializados pela Petrobras são distribuídos por uma rede de dutos, e a base de Uberaba recebe o produto por meio de duto que se origina em Paulínia, passa por Ribeirão Preto e segue para Uberaba, indo posteriormente para Uberlândia, Senador Canedo e Brasília.

O prefeito Paulo Piau explica que Uberaba é contemplada com uma tancagem de combustível transportada via dutos, no Distrito Industrial III, e quanto maior a distância de Paulínia, onde há a refinaria, maior a energia para bombear este combustível, e, portanto o preço seria maior. “Mas por incrível que pareça o preço praticado em Uberaba tem sido maior do que Uberlândia, cujo duto está 100 quilômetros adiante neste percurso. Isso nos causou estranheza, visto que há uma grande incoerência. No primeiro momento nos deram uma explicação que não nos atendeu, por isso vamos em ao Rio de Janeiro para que eles possam nos dar a devida explicação. O que queremos é o crescimento da tancagem de Uberaba para atender toda a macrorregião”.

Piau destaca que a Prefeitura de Uberaba está atenta e cumprindo o papel pertinente ao município. “Estamos ajustando a legislação do comércio de combustíveis em Uberaba, no que diz respeito à abertura de postos, adequando a nossa à Lei Federal, bem como esta mudança permitirá mais concorrência e mais geração de empregos. O Procon Uberaba também está fazendo sua parte na fiscalização dos preços, com pesquisas e monitoramento constante. Mas não podemos entrar na área investigativa, que é uma atribuição específica do Ministério Público, Polícia Federal e Polícia Civil. Apesar disso nos mantemos atentos, pois o que desejamos é uma resolução para benefício de todo o município”.

Análises – José Renato Gomes, secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, explica que em um primeiro momento a Prefeitura esteve em contato com atacadistas e com distribuidoras, que vendem para os postos de combustíveis, para compreender a realidade do mercado. “E em um segundo momento também nos reunimos com representantes da Transpetro, que transporta o combustível até Uberaba, e que esclareceu que o preço é fixado pela Petrobras. Portanto, durante todo este período de levantamento e com todas as análises feitas, não encontramos nenhuma justificativa para que o preço em Uberaba seja mais alto que em Uberlândia”, pondera ele.

Uma das consequências dessa diferença, segundo o secretário adjunto Fúlvio Ferreira, é a mudança de logística no trabalho das distribuidoras, já que estão levando sua movimentação para a cidade vizinha. “Constata-se, por meio de análises, que até 50% das operações das distribuidoras estão sendo migradas para as bases de Uberlândia. Ou seja, para um atacadista é mais vantajoso buscar o combustível na base de Uberlândia e trazer para os postos de Uberaba, do que receber o produto na base de distribuição do próprio município”, conclui.

Neste sentido, José Renato Gomes reforça que Uberaba perde em arrecadação de ICMS, e os reflexos também são negativos para a geração de novos empregos e para o preço final do combustível ao consumidor.

Fotos: André Santos/Rodrigo Garcia

 

You have Successfully Subscribed!

Share This