« Postagens Antigas
Escolha uma Página

O Presidente da Codau, Luiz Guaritá Neto, ingressa nesta terça-feira (26), com representação criminal no Ministério Público de Minas Gerais contra o advogado Vicente Araújo de Souza Netto, pela prática dos delitos de calúnia (art. 138, CP), difamação (art. 139, CP) e injúria (art. 140 CP).

O pedido de apuração criminal está baseado nos fatos inverídicos apontados no pedido de impeachment do prefeito Paulo Piau, encaminhado à Câmara de Vereadores pelo advogado acusador. Na petição ao MPMG está ressaltado que Vicente Araújo tratou o assunto com conteúdo falacioso, além do viés político para atingir a honra e a imagem do engenheiro e presidente da Codau, Luiz Guaritá Neto.

‘Ele fez alegações absurdas e infundadas e como advogado deveria saber que contratos de locação não precisam de licitação, pois são regidos por legislação própria. Ele fez questão de confundir a opinião pública, emaranhar a pessoa jurídica com a pessoa física, que é proprietária do imóvel da Codau, além de lançar mão de adjetivos como ‘comparsa’. Tenho como herança dos meus pais a honestidade e por ela vou lutar e defender. Custe o que custar do meu tempo e de minhas energias para provar a minha honestidade frentes à essas acusações.”, afirmou Guaritá.

Estão anexados na representação do MP documentos que provam que o denunciante, Vicente Araújo Netto, recebeu condenação em primeira instância de 2 anos de prisão por tentativa de furto à caixa eletrônico de agência bancária na cidade de Barretos (SP). E também outros documentos que indicam suspeitas sobre o uso de firmas fantasmas de Vicente Araújo em participação de licitações da Codau e da PMU.

“O Ministério Público será alertado sobre esses fatos e terá documentos suficientes para abrir uma investigação criminal. Isso tudo mostra que o denunciante não tem condições morais para ter alegado tantas falsidades contra a minha honestidade, frisou Guaritá”.

Fotos: Ascom/Codau

 

 

 

 

You have Successfully Subscribed!

Share This