Cantor Luiz Melodia é velado na quadra da Escola de Samba Estácio de Sá

O cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, morreu na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ), aos 66 anos, em decorrência de complicações de um câncer que atacou a medula óssea. Melodia morreu na madrugada de hoje, 4 de agosto, por volta das cinco horas da manhã. A informação foi confirmada por Renato Piau, guitarrista que tocou com Melodia, após ligação para a família do artista. Melodia chegou a fazer um transplante de medula óssea e resistiu ao procedimento, mas não vinha respondendo bem à quimioterapia. O câncer voltou e o estado de saúde de Melodia se agravou bastante ontem. O artista estava internado no hospital Quinta D’Or.

O velório do corpo do cantor e compositor Luiz Melodia teve início na tarde desta sexta-feira (4) na quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Estácio de Sá, no Centro do Rio.

A cerimônia deve seguir madrugada adentro e durar até a manhã deste sábado (5), quando ocorrerá o sepultamento no Cemitério do Catumbi, no bairro próximo. O músico morreu na madrugada desta sexta-feira (4) aos 66 anos. Ele lutava contra um câncer que atacou a medula óssea.

Casada há 40 anos com o cantor Luiz Melodia, Jane Reis, muito emocionada, contou que chamava o marido de “passarinho”.

“[Ele] Voou. Voou mais alto. Foi pra longe da gente. Foi cantar em outro lugar”.

Com olhos marejados, Jane não soube explicar porque as músicas de Melodia eram tão especiais para a grande maioria dos fãs.

“Não sei. Ele era muito sincero, muito inteiro. Tudo o que ele fazia, ele fazia com muita sinceridade. Eu acho que as pessoas se identificam com essa sinceridade, elas se veem na sinceridade. Então, eu acho que o que saía era ele, e acabou. Sem mais, sem menos. Sem meias palavras, ou com muitas meias palavras, mas sinceramente”, declarou.

No início do velório, duas bandeiras foram postas em cima do caixão de Luiz Melodia: uma do Vasco da Gama (time de Melodia) e uma da Estácio de Sá. Familiares, amigos famosos e anônimos também compareceram ao velório.

“Estou vindo aqui na despedida de um grande amigo, um grande vascaíno. Uma pessoa que aprendi a respeitar e gostar, não só das suas melodias, mas também do seu caráter”, lamentou o ex-jogador e ex-presidente do Vasco Roberto Dinamite.

A atriz Zezé Motta lembrou com muito carinho momentos ao lado de Luiz Melodia. Disse que o artista irá deixar “muita saudade” e fará “muita falta”.

“O que me consola é que foi um amigo-irmão do qual eu aproveitei bastante. A companhia dele, eu bebi muito na fonte da poesia dele. E ele continua vivo através da obra dele. Isso é muito importante.”

Escola já pensava em homenagear artista

 

O presidente da Estácio de Sá, Leziário Nascimento, adiantou que a escola já tinha a pretensão de homenagear Luiz Melodia ainda em vida e disse que isso estava sendo conversado com a esposa do artista. Nada ficou certo e Melodia partiu, mas o presidente já deixou claro que, em 2019, há surpresas por vir que farão o público da Sapucaí lembrar de Melodia.

“Nós conversamos com a Jane para tentar [a homenagem] em vida. Conversamos e tudo e eu disse: ‘Vamos tentar fazer o enredo do Luiz’. Aí, como nasceram outras prerrogativas, aí, ele partiu… Mas, vamos ver se em 2019 nós revivemos isso.”

Ele cantava que o nome dele era ébano na música que defendeu no festival Abertura, exibido pela TV Globo em 1975. Na certidão de nascimento, o nome era Luiz Carlos dos Santos. Mas o Brasil o conhecia mesmo pelo nome artístico de Luiz Melodia. Nascido em 7 de janeiro de 1951 no morro do Estácio, o bairro da cidade natal que ele cantou poeticamente em um dos sambas mais conhecidos do repertório gravado a partir da década de 1970, Luiz Melodia saiu de cena hoje em decorrência de complicações de um câncer de medula óssea conhecido cientificamente como mieloma múltiplo, mas fica eternamente em lugar de honra na história da música brasileira.

Copyright © Em Todas Blog – Todos os direitos reservados.