A ordem no Planalto foi de não repercutir a fala de Maia para evitar atrito com um aliado importante, principalmente neste momento em que a Câmara analisa a segunda denúncia contra Temer. Mas para mais de um interlocutor, Temer verbalizou nesses últimos dias sua insatisfação com a fala de Rodrigo Maia.

Apesar de não citar nominalmente o presidente, Maia fez uma dura crítica ao grupo peemedebista que fica no entorno de Temer. O presidente apostava que a relação com Maia já estivesse pacificada, depois que o presidente da Câmara cobrou publicamente do próprio presidente o movimento do PMDB para inibir o crescimento do DEM.

Para integrantes do governo, Temer chegou a afirmar que já estava tudo resolvido, depois que recebeu um telefonema de aniversário de Maia.

Mas nesta entrevista recente ao “Valor Econômico”, o deputado Rodrigo Maia atribuiu a integrantes do primeiro escalão do governo os rumores de que teria interesse na Presidência da República. Ele negou interesse no cargo ocupado pelo presidente Michel Temer e afirmou que não se movimentou pelo impeachment, ao contrário do que políticos no entorno da ex-presidente Dilma fizeram.