« Postagens Antigas
Escolha uma Página

O Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU) realizou, na tarde desta sexta-feira (22), o primeiro transplante ósseo de Uberaba. Agora, o hospital passa a ser o quarto em Minas Gerais e o único da cidade credenciado ao Ministério da Saúde para realizar o procedimento. O paciente, José Rodrigues dos Santos, de 72 anos, esperava pela cirurgia há mais de 10 anos. A operação, considerada uma das mais complexas dentro da Ortopedia, foi coordenada pelos médicos: Rodrigo Tavares Cardozo e Diminson dos Santos Braz.

O tecido ósseo foi encaminhado de avião do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Rio de Janeiro, para Uberlândia. De lá, veio até Uberaba de carro. A cirurgia durou aproximadamente quatro horas. O paciente se recupera na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e deve receber alta na próxima semana. “Ele fica em observação em torno de 48 horas na UTI. Já começa a reabilitação com a fisioterapia e recebe alta num prazo de, mais ou menos, três a quatro dias. Ele segue fazendo a fisioterapia e a reabilitação em casa”, explica o ortopedista Rodrigo Tavares Cardozo.

O paciente já havia passado por uma cirurgia há mais de 20 anos, com o implante de uma prótese no quadril direito devido ao desgaste natural do osso. Há pouco mais de 10 anos, a prótese quebrou e, desde então, ele lutava para conseguir uma nova operação. Há dois anos entrou, definitivamente, para a lista de espera de transplante ósseo e conseguiu, por meio de uma decisão judicial, ser beneficiado com o primeiro procedimento no MPHU após o credenciamento.

“É uma emoção saber que ele vai conseguir andar, viajar, poder fazer as coisas que ele sempre sonhou. Ele não vai mais se sentir tão limitado. É emocionante, não tem nem como descrever. Eu estou muito feliz”, diz a filha, a técnica de enfermagem, Mayara Rodrigues dos Santos. Para o senhor José, que fez aniversário na semana passada, o transplante veio como um presente. “Nossa, foi bom demais! Até o coração queria sair pela boca de alegria quando soube que tinha conseguido. Depois que estiver bem, eu quero sair um pouco de Uberaba, quero viajar para Pernambuco, minha terra”, diz.

Segundo os médicos, o credenciamento do MPHU é uma conquista para a cidade. “Para a população de Uberaba e região é muito bom, porque ela não vai mais precisar sair daqui para ser operada em outro estado quando precisar de um transplante ósseo. Temos uma lista prevista de, pelo menos, 20 pacientes em Uberaba à espera do procedimento, sendo que quatro já estão encaminhados para o processo com o Banco de Osso”, afirma Rodrigo.

Transplante de osso

A cirurgia de transplante de osso é indicada para pessoas que apresentam perdas ósseas decorrentes de tumores, trocas de próteses e traumatismo, além de pacientes portadores de deformidades congênitas e de coluna e problemas odontológicos. O Banco de Tecidos Músculoesqueléticos do Into, no Rio de Janeiro, é o responsável pela captação, processamento e distribuição de osso, tendões e meniscos para utilização na área da Ortopedia e Odontologia. O Into tem uma fila que atende pacientes de todo o Brasil que necessitam de tecido ósseo.

Os ossos retirados de um doador, após o falecimento, podem beneficiar aproximadamente 30 pessoas. Eles são encaminhados para o Banco de Tecidos do Into, onde são processados em uma área especial, com ar totalmente puro para evitar contaminação por bactérias e vírus. Depois disso, são armazenados a uma temperatura de -80ºC, podendo ser guardados por até cinco anos.

A estrutura do MPHU

Inaugurado há quase cinco anos, o MPHU é um hospital de ensino vinculado à Universidade de Uberaba (Uniube), que atua 60% pelo SUS e 40% particular e convênio, com atendimentos de média e alta complexidade em todas as especialidades médicas. Além do transplante ósseo, o MPHU realiza, desde 2015, transplante renal e também faz a captação de córneas, fígado e rins na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Fotos: ASSCOM/Uniube

 

 

You have Successfully Subscribed!

Share This