Paço Municipal é tema de vídeo do Circuito Online de Patrimônios de Uberaba

O Circuito Online de Patrimônios de Uberaba é um projeto da Fundação Cultural (FCU) com sequência de vídeos-documentários sobre a história de pontos da cidade. O material audiovisual lançado nessa quarta-feira (17) aborda o histórico Paço Municipal, prédio que abriga a Câmara Municipal de Uberaba. Já estão disponíveis nas redes sociais da FCU vídeos sobre a Epamig, a igreja Santa Rita, a igreja São Domingos e a Estação Mogiana.

Segundo a presidente da autarquia, Jaine Basílio, o material tem o objetivo de informar sobre o tombamento e registro de bens materiais e imateriais de Uberaba. “É uma alternativa para popularizar a cultura e o trabalho desenvolvido pela Fundação Cultural”, afirma.

O primeiro prédio sede do Governo Municipal foi inaugurado em 1837, ano também da instalação da Câmara Municipal de Uberaba. Na data, o agente executivo era Capitão São Domingos da Silva e Oliveira, irmão de Major Eustáquio. Nesse mesmo prédio, funcionou também, por muitos anos, a sala de júri e a cadeia pública.

A antiga construção foi demolida em 1917 e o prédio foi inaugurado em 1920. A planta foi desenhada pelo engenheiro e arquiteto Brosenius e construída por Santos Guido. O estuque (tipo de argamassa resultante da adição de gesso, água e cal utilizado como revestimento decorativo ou como modelação) do Salão Nobre foi executado pelo italiano Carlos Machi. As pinturas do Salão e da Sala da Presidência são de autoria dos italianos Vicente Corcione e Rodolpho Mosello. O paço municipal foi tombado em 1999 e se tornou oficialmente um dos bens patrimoniais de Uberaba. Atualmente, apenas um dos departamentos da Câmara Municipal funciona no prédio.

O estilo de construção do Paço Municipal é a arquitetura eclética. O ecletismo é a mistura de estilos passados para a criação de uma nova linguagem arquitetônica. O termo arquitetura eclética é usado em referência aos estilos que exibiam combinações de elementos que podiam vir da arquitetura clássica, medieval, renascentista, barroca e neoclássica, entre outras. Com isso, buscava-se negar a ligação com o passado português fazendo referências a novas fontes de culturas, como a França e a Itália.

O vídeo-documentário de um minuto está disponível nas redes sociais da Fundação Cultural de Uberaba: facebook.com/culturauberaba e instagram.com/culturauberaba. Também está disponível no Youtube, no canal da FCU: youtube.com/FundacaoCultural, e será distribuído pelo WhatsApp.

Foto: Reprodução/Divulgação

Copyright © Em Todas Blog – Todos os direitos reservados.