Pedestres correm perigo na Av. Guilherme Ferreira em Uberaba

A interminável obra do BRT na av. Guilherme Ferreira vem causando diariamente vários transtornos aos uberabenses. A avenida virou uma verdadeira pista de corrida e motoristas audaciosos de carros e motos, vem causando pânico aos pedestres que tentam atravessar a pista.

Com a retirada dos canteiros central e a falta de pintura da faixa de pedestres, não tem como atravessar a mesma sem correr risco de vida. Não há se quer ajuda da guarda municipal para ajudar e fiscalizar o trânsito perigoso da via. Como não há fiscalização nenhuma, motoristas fazem o que quer, inclusive, convenções e estacionamentos em locais proibidos e retornos indevidos.

Se a secretaria de obras não tem previsão do final da obra, cabe a secretaria de trânsito tomar providências urgentes antes que ocorra o pior. Qualquer um corre o risco de morte ou acidente de atravessar a avenida.

Uma solução simples e rápida de sanar o perigo, é a pintura das faixas, coisa que poderia ser feito em final de semana, interditando a pista no trecho entre a av. Leopoldino de Oliveira até a Mata do Ipê, em dias de pouco movimento.

 O que falta mesmo, são atitudes necessárias dos departamentos responsáveis, que nada fazem e esperam que o pior aconteça. Cadê a boa vontade? A quem socorrer? Até quando?

Esperamos que o prefeito Paulo Piau e os responsáveis, tomam atitudes rápidas e necessárias para o bem da comunidade. Aguardemos!

 

Copyright © Em Todas Blog – Todos os direitos reservados.

Obrigado, Caros Leitores!

Nós da família do Luiz Renato Rodrigues da Cunha vimos através deste canal “Em Todas” agradecer a todos que procuravam diariamente se informar e compartilhar as matérias divulgadas pelo nosso saudoso colunista.

Agradecemos também o carinho demonstrado sempre ao nosso blogueiro imortal.

Foram anos de fidelidade, respeito e interatividade!

Sabemos que ele exerceu com brilhantismo sua capacidade de informar com transparência e imparcialidade, transmitindo alegria e entretenimento a seus leitores.

Chegou a hora de dar um até breve e jamais um adeus, pois acreditamos que um dia estaremos novamente com nosso ente querido.