TJMG reconhece Lei de iniciativa do vereador Samuel Pereira que amplia validade dos Alvarás

Tribunal de Justiça de Minas Gerais julgou, por unanimidade, improcedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade movida pelo Executivo Municipal de Uberaba contra a Lei Complementar 510/15, que modifica o “Sistema Tributário do Município” e amplia para cinco anos a validade de licenças, entre elas o alvará de funcionamento para o comércio. O projeto que resultou na Lei é de iniciativa do vereador Samuel Pereira (PR), que anunciou a decisão da Justiça às lideranças classistas da cidade, visto que o assunto é um antigo pleito do setor empresarial.

O projeto chegou a ser vetado pelo Executivo, mas a Câmara o derrubou. No entendimento do desembargador relator, Belizário de Lacerda, “a matéria de Lei Complementar 510/15 não se insere em nenhuma daquelas cuja iniciativa do projeto recaia privativamente sobre o Chefe do Poder Executivo, haja vista que se limita a majorar o prazo máximo de validade de licenças a serem concedidas pelo Município no exercício do poder de polícia.”

O relator, em seu voto, cita o autor do livro Direito Municipal Brasileiro, Hely Lopes Meirelles, ressaltando que “Leis de iniciativa exclusiva do prefeito são aquelas em que só a ele cabe o envio do projeto à Câmara. Nessa categoria estão as que disponham sobre a criação, estruturação e atribuição das secretarias, órgãos e entidades da Administração Pública Municipal; a criação de cargos, funções ou empregos públicos na administração direta e autárquica, fixação e aumento de sua remuneração; regime jurídico dos servidores municipais, e o plano plurianual, as diretrizes orçamentárias, os orçamentos anuais, créditos suplementares e especiais.” O acórdão foi publicado no último dia 29 de setembro.

A ampliação de 3 para 5 anos de validade do alvará de funcionamento para o comércio é um pleito  das entidades de classe, como a Aciu, CDL, Sindcomércio, Sebrae e Sindicato dos Contabilistas, que solicitavam que a mudança fosse realizada.

O projeto do vereador Samuel foi aprovado no Plenário do Legislativo, pórém a proposta teve parecer de inconstitucionalidade por parte da Prefeitura, que vetou a matéria, em março de 2016. A alegação foi de que a  proposta seria ilegal e contrariaria o interesse público. Porém, tanto a Procuradoria quanto a Comissão de Justiça, Legislação e Redação da Casa não concordaram com o parecer de inconstitucionalidade, mantendo a avaliação anterior, e opinaram pela rejeição total do veto, o que foi seguido pelos vereadores.

Em agosto de 2016, a Prefeitura questionou a legislação e moveu a Ação Direta de Inconstitucionalidade, obtendo sucesso em primeira instância. Agora o Tribunal de Justiça reconheceu a validade da Lei, que passa a vigorar.

“O objetivo é desburocratizar este serviço”, afirmou Samuel, pois entende que seria muito mais fácil para o comerciante ou o contabilista conseguir o alvará, assim como o micro e o pequeno empreendedor. “Várias cidades e estados do país já têm o alvará renovado a cada 5 anos”, finalizou o parlamentar.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, Fúlvio Ferreira, com a decisão, o poder público reconhece a importância do empresário gerador de novos empregos e recolhedor de tributos. “Os comerciantes uberabenses aplaudem a lei. Quanto menos burocracia tiver, melhor para o empreendedorismo brasileiro”, disse.

O próximo passo, de acordo com Samuel, será a elaboração de documento assinado pelo parlamentar e entidades de classe solicitando ao Poder Executivo o cumprimento da norma. “Acredito que Uberaba só tem a ganhar com a lei, que não gera gastos ao município”, encerrou.

 

 

Copyright © Em Todas Blog – Todos os direitos reservados.

Obrigado, Caros Leitores!

Nós da família do Luiz Renato Rodrigues da Cunha vimos através deste canal “Em Todas” agradecer a todos que procuravam diariamente se informar e compartilhar as matérias divulgadas pelo nosso saudoso colunista.

Agradecemos também o carinho demonstrado sempre ao nosso blogueiro imortal.

Foram anos de fidelidade, respeito e interatividade!

Sabemos que ele exerceu com brilhantismo sua capacidade de informar com transparência e imparcialidade, transmitindo alegria e entretenimento a seus leitores.

Chegou a hora de dar um até breve e jamais um adeus, pois acreditamos que um dia estaremos novamente com nosso ente querido.