« Postagens Antigas
Escolha uma Página

Capacitação sobre o manejo clínico das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti acontece nesta quinta (24) e sexta (25) para profissionais das unidades básicas da rede pública de saúde de Uberaba. O treinamento iniciou dia 24 e tem por objetivo orientar os profissionais sobre os protocolos de atendimento do Ministério da Saúde, aplicados à situação do município, com Unidades Básicas e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) como as principais portas de entrada na rede. Nesta sexta, a capacitação acontece na sede da Secretária de Saúde, na Avenida Guilherme Ferreira, durante a manhã, a partir das 08h.

O treinamento, promovido pela Secretaria de Saúde (SMS) por meio do Departamento de Epidemiologia, expôs para médicos e enfermeiros tanto a parte clínica, com relação a recepção dos pacientes, diagnóstico e fluxo de atendimento de acordo com gravidade de cada caso, quanto a parte operacional, com relação aos pedidos de exames e logística da coleta dos mesmos, notificações e preenchimento das fichas de informações.

Um dos pontos mais abordados durante a capacitação foi a necessidade de realizar as notificações, mesmo em casos apenas suspeitos, com preenchimento completo das informações sobre o paciente e o atendimento do mesmo. “As notificações são o nosso ‘termômetro’ de como está a movimentação nas unidades e podermos realizar ações conjuntas com os outros setores como a Zoonoses e saber quais estratégias adotar”, explica o chefe do Departamento de Epidemiologia da Secretaria de Saúde, Robert Boaventura. Ele ainda apresentou o fluxograma e os protocolos de atendimento nas unidades de saúde do município para casos suspeitos de dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

Boaventura explica que são quatro grupos: A, B, C e D. O Grupo A, é um caso leve, que o paciente pode ficar em casa e mais tarde ter retorno na unidade. No Grupo B, o paciente precisa ficar em observação na unidade, enquanto Grupo C, o paciente ficará em observação no hospital. “Quando o caso é classificado como Grupo D, é uma situação mais graves e precisam de mais atenção, em que o paciente tem que ser encaminhado ou para o Hospital Escola, ou para o Hospital Mário Palmério para maior cuidado”, relata o chefe do Departamento de Epidemiologia.

O treinamento faz parte das estratégias e planejamento em relação às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e a expectativa é que um novo treinamento seja realizado para os profissionais das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) aconteça na próxima semana, para emparelhamento das ações em todos os setores da saúde em Uberaba.

Fotos: André Santos

 

Share This