Uberaba – Futura Casa da Mulher Brasileira terá espaço no novo CIM

O titular da SEDS, Marco Túlio Cury explicou que havia uma programação de inaugurar naquele local a Casa da Mulher Brasileira, que é um projeto do Governo Federal, através da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos que disponibiliza espaço integrado e humanizado para atendimento às mulheres em situação de violência, do qual faz parte do CIM em Uberaba. No entanto, por razões burocráticas e pelo momento da pandemia não foi possível fechar a licitação. Porém, por determinação do prefeito Paulo Piau está aberto o espaço onde está o CIM por enquanto.

O deputado federal Franco Cartafina, representado na ocasião pela vereadora eleita Rochelle Gutierrez Bazaga destinou emenda no valor de R$290 mil para o mobiliário do CIM e ainda pontuou que “este local será no futuro a primeira Casa da Mulher Brasileira em Minas Gerais, e a experiência de Uberaba será referência para abertura de outros espaços similares. Precisamos pensar mais políticas públicas para fazer integralmente a proteção dessa mulher vítima de violência”, disse.

A delegada de Orientação e Proteção à Família, Mariana Pontes Andrade lembrou que a violência doméstica é um problema multifacetário com quatro pilares que devem ser fortalecidos: segurança, saúde, educação e assistência social. O delegado titular da 1ª Delegacia Regional da Polícia Civil, Rodolfo Rosa Domingos fez eco com essas colocações, acrescentando a importância da união entre os órgãos. Também se pronunciou o juiz diretor do Fórum de Uberaba, Fabiano Garcia Veronez para quem, mesmo com grandes legislações, é necessário o devido respaldo por parte do poder público, envolvendo toda sociedade.

Aplicativos. Uberaba disponibiliza hoje três aplicativos para a mulher no Município. O primeiro é o ‘MG Mulher’ da Polícia Civil, do Estado, que é um cadastro de pessoas com uma rede de amigos, para os quais ela pode pedir socorro. Outro é do Procon Uberaba, onde a  mulher pode fazer a denúncia, por meio de ferramenta no aplicativo, durante atividades relativas ao consumo. O terceiro é da Codiub – Inteligência Digital, o aplicativo ‘Anjo’, para mulheres com medidas protetivas, ou seja, já sob a tutela do Estado, acionando a Guarda Municipal. “As mulheres têm procurado e relatado atendimento positivo, especialmente da Patrulha Maria da Penha, preparada para esse atendimento, da mesma forma que a Polícia Militar tem a Patrulha de Prevenção à Violência (PPVD)”, salientou a coordenadora.

Fotos: André Santos

Copyright © Em Todas Blog – Todos os direitos reservados.