« Postagens Antigas
Escolha uma Página

Secretário adjunto de Saúde, Luciano Correia, e equipe anunciaram em coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (27) a ampliação do funcionamento do Complexo Regulador Municipal e o fluxo de internações hospitalares em Uberaba. O anúncio visa evitar prejuízos à população uberabense após o Estado bloquear a senha de acesso do município ao sistema de regulação estadual SUSFácil na tarde de terça-feira (26), sem aviso prévio.

Segundo o secretário adjunto de Saúde, a Portaria que institui o fluxo de regulação municipal será publicada ainda nesta quarta, no Diário Oficial do Município, o Porta-Voz. “Fomos pegos de surpresa ontem com o bloqueio dessa senha. O motivo não sabemos, comunicamos o Ministério Público, o secretário de Estado, o secretário Iraci também entrou em contanto com subsecretário Nicodemos. Hoje de manhã, fomos comunicados que esse processo não seria revisto em relação à liberação da senha, pelo Superintendente Regional”, relata Correia. O secretário adjunto apontou ainda que o secretário Iraci, que está em Brasília em agendamento prévio com o Ministério da Saúde, já busca processo para integrar a Regulação Municipal 24h e liberar o Estado de qualquer ação em relação à regulação.

O Complexo Regulador Municipal foi implantado em julho para melhorar a disponibilidade de leitos em urgência e emergência. Uma análise de 125 dias de funcionamento apresentada durante a coletiva mostrou os impactos positivos nas Unidades de Pronto Atendimento de Uberaba, com aumento da taxa de transferências em até 30% com relação aos 125 dias anteriores a implantação do Complexo Regulador. A média de tempo de espera para as transferências caiu de 7 dias para 4 horas, segundo dados da SMS.

Mudanças – O coordenador do Complexo Regulador Municipal, Raelson Batista, explica que o sistema que antes funcionava em co-participação com o Estado, apenas 12 horas por dia, passará a funcionar em escala de 24h. Todos os hospitais de Uberaba estão cientes do novo fluxo. “Todos os leitos que forem disponibilizados por altas e, portanto, estão livres para serem ocupados dentro do município de Uberaba, serão analisados pela Regulação Municipal de Uberaba, que tem acesso as informações tanto de solicitações de procedimentos programados, os chamados procedimentos eletivos, quanto das solicitações que vão vir das nossas Unidades de Pronto Atendimento, as solicitações de urgência e emergência”, relata Batista. A partir daí, fazendo o equilíbrio das duas situações, o Complexo Regulador autoriza a ocupação dos leitos por essas demandas, conforme a necessidade do paciente e a qualificação do hospital para resolver aquele caso.

Região – No caso de pacientes de outras cidades, em função do bloqueio da senha, a regulação do Estado passa a ser a única a ter conhecimento sobre os leitos da região. “Ela terá que se comunicar com a regulação municipal para dizer que há a necessidade dos pacientes virem para Uberaba. Nós vamos analisar cada um desses casos, vamos analisar se realmente essa necessidade e se nós temos os leitos disponíveis e em qual hospital haverá disponibilidade. A partir daí devolveremos a comunicação para a regulação do Estado, para que ele providencie a remoção dos pacientes, tudo sempre com análise e autorização da Central de Regulação do Município de Uberaba, funcionando 24h”, pontua o coordenador do Complexo Regulador Municipal.

Fotos: André Santos

Share This